Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias
Notícias
13 de Fevereiro de 2019
5 4 3 2 1

A importância de ensinar a estudar

O que consultar quando os professores da sua escola precisam ensinar os alunos a estudarem

Por: Flavia Nogueira
Menina sentada em uma mesa escrevendo em um caderno
Foto: Getty Images

Nem sempre apenas dizer para os alunos “grifem as partes mais importantes do texto” ou “faça um resumo” funciona. Isso porque, muitas vezes, não fica claro como identificar as informações mais relevantes de um conteúdo sem orientações. É preciso ir além e ensinar os alunos a estudarem.

“Aprender a estudar envolve uma dimensão cognitiva, uma relação de ensino mesmo e questões de didática”, explica à NOVA ESCOLA Walkiria Rigolon, pedagoga de formação e pesquisadora sobre trabalho docente e práticas formativas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e da Fundação Carlos Chagas (FCC).

Os gestores sabem que os professores precisam ir além de apenas direcionar o procedimento que os alunos devem praticar para apoiar seus estudos  (como fichamento, grifo, esquema, exposição oral, debate ou resenha).

Aprender a estudar é uma condição fundamental para dar continuidade na vida escolar e cabe à escola ensinar estas práticas associadas ao estudo. Para ajudar você a passar para os professores a importância de ensinar a estudar com exemplos e práticas, separamos algumas dicas:

1) Uma reflexão com os professores sobre ler para estudar

Situações como explorar a biblioteca para localizar uma informação ou ler para resolver dúvidas, coletar dados – desde os primeiros anos  – , quando bem planejadas e sistematizadas, permitem que os alunos desempenhem bem a tarefa de estudar.

E, neste texto, a coordenadora Eduarda Diniz Mayrink, mostra como, a partir de uma experiência realizada com professores de 3º ano na cidade de Rio Piracicaba (MG), é possível criar uma oportunidade de formação sobre o “ler para estudar”.

2) Leitura em voz alta

Por falar em “ler para estudar” é bom lembrar a importância da leitura em voz alta em sala de aula.

O objetivo aqui é criar um repertório nas crianças com boas leituras, ler para elas textos que não dariam conta de lerem sozinhas, estimular o hábito da leitura entre outros.

Este texto explica como preparar as leituras (o antes, durante e o depois) e como registrar a atividade.

3) Envolvendo todas as disciplinas

Muitos gestores ouvem algum membro da equipe comentar que os alunos não conseguem fazer determinado exercício por não compreender o enunciado. Antes de procurar o professor de Língua Portuguesa, o gestor pode estimular educadores de diferentes áreas a refletir sobre seu papel na formação de leitores. Todos podem contribuir para que os estudantes entendam o que estão lendo.

E neste texto estão dicas de como Artes, Ciências, Matemática e até Educação Física podem contribuir.

4) Procedimentos de apoio à leitura

Não basta falar “grifem”, “façam um resumo” ou “vamos fichar”. É melhor explicar cada um destes procedimentos e este texto traz detalhes e dicas sobre como marcar palavras-chave, grifar textos, resumir, esquematizar, entre outros.

5) Como formar leitores eficientes

Que tal criar um projeto para envolver professores do 6º ao 9º ano, de todas as disciplinas, para criar na escola alguns procedimentos comuns para que todos se tornem leitores eficientes.

Sugerimos um projeto de formação em três módulos com tópicos como Grifos e Fichamentos, Diagramas e resumos e Notas e Seminários. Todos eles trazem propostas de debates, atividades, textos de apoio, resumos, gráficos, modelos entre outros. Clique aqui para ter acesso aos três módulos. Ou então escolha entre Grifos e Fichamentos, Diagramas e Resumos ou Notas e Seminários.

Assuntos Relacionados