Ir para o conteúdo Pular para o menú principal
ANÚNCIO
Você sabia que é possível salvar matérias para ler mais tarde? Use o botão icone ler mais tarde Ler mais tarde
icone menu

O diretor também é formador

por:
Joelma
Joelma Souza
A diretora Joelma reunida com a equipe de sua escola. Crédito: Rafael Araújo

Uma das principais atribuições do cargo do coordenador pedagógico é a formação de professores. No entanto, o diretor também tem seu papel nessa tarefa. Quando estamos atentos às questões que envolvem o universo docente e os estudantes – incluindo temas em pauta na mídia ou nas conversas do dia a dia da sala dos professores – podemos garantir e ajudar a estruturar temas de estudo que são importantes para a formação continuada dos docentes.

Quando a atuação do diretor é bem presente, os próprios dados, problemas e necessidades da escola dão vestígios ou mesmo apontam temas a serem trabalhados. As dificuldades de cada um ou do grupo de professores é sempre um ótimo ponto de partida para reflexões de como aprimorar a prática. Nesse contexto, elegi situações já desenvolvidas em nossa escola que contribuem neste processo. Confira:

1. Se reúna frequentemente com a equipe. Das conversas entre diretor, coordenador, orientador educacional e o secretário da escola, por exemplo, podem fluir temas que são de extremas importância (ou necessidade) para o desenvolvimento da comunidade educacional. A reflexão e avaliação dos processos e caminhos, quando feita conjuntamente, costumam trazer uma pliralidade de olhares que favorece decisões mais assertivas.

2. Distribua as tarefas. É preciso identificar, dentro do processo de formação, onde cada um pode contribuir mais. O diretor, que por sua essência articula muito as questões dos dados, rendimentos e aprendizagens pode ficar com a parte inicial para reflexões e análise a partir dos números apresentados. Assim como a participação de um professor em um ponto específico da proposta, compartilhando uma experiência ou uma atividade que conseguiu fazer a diferença neste bimestre e/ou semestre podem somar nesse momento.

3. Organize um cronograma. Além de prever quais serão os temas de cada formação, vale incluir (e já prever) dentro da rotina (e do calendário escolar) os momentos em que serão feitos os acompanhamentos de resultados dessas formações e os feedbacks deles. Esse procedimento garante que façamos aprimoramentos que contribuem, de fato, para o crescimento individual e coletivo da equipe.

4. Articule parcerias. Quando os próprios funcionários da escola não se sentem confortáveis para trabalhar determinados temas nas formações, o diretor pode intermediar junto à equipe da Secretária de Educação, por exemplo, parceiros que podem contribuir com este processo. Assim, garantimos a qualidade dos conteúdos trabalhados.

E você, amigo diretor, como tem conduzido a formação continuada de seus professores? Qual o valor desse tema na sua atuação? Será sempre importante socializarmos questões da nossa rotina para ampliarmos as boas práticas.

Aguardo as contribuições de cada um!
Um grande abraço e até quarta,
Joelma

 

ANÚNCIO
LEIA MAIS