Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias
Notícias
22 de Agosto de 2017 Imprimir
5 4 3 2 1

Como se preparar com antecedência para os conselhos de classe?

Por: Muriele Massucato
Foto: Ricardo Toscani

Olá, colegas,

Na escola onde trabalho estamos em fase de organização dos conselhos de classe do 2º trimestre letivo. É chegado o momento de verificar as aprendizagens das crianças, as responsabilidades que competem à equipe escolar e o processo de ensino como um todo.

Porém não basta a nós, coordenadores pedagógicos, organizar somente as datas e os períodos de reuniões. É preciso refletir com os professores sobre os objetivos desses encontros e combinar outros detalhes importantes, como formas de documentar e registrar o processo avaliativo, além de bons critérios ou indicativos para avaliação dos alunos para que as reuniões de conselho de classe sejam produtivas.

Pensando nisso, estou desenvolvendo uma sequência formativa em HTPC com o meu grupo de professores no qual, em três encontros, percorremos tais “caminhos”:

1º ENCONTRO: Refletir sobre a concepção de avaliação que está prevista em nosso Projeto Político-Pedagógico (PPP) e combinar critérios para o conselho.

2º ENCONTRO: Abordar os instrumentos metodológicos de avaliação, como portfólio, atas de conselho, relatórios e fichas de rendimento, refletindo sobre as possibilidades de documentação pedagógica dentro da perspectiva construtivista formativa.

3º ENCONTRO: Refletir sobre a socialização da avaliação com os alunos e seus responsáveis (autoavaliação das crianças e reunião de pais).

Para discutir os propósitos da avaliação, lemos um texto muito interessante disponível no material de Gestores do PNAIC/2015 que aborda os cinco pressupostos da avaliação: “Possibilidades, limites e desafios da política das avaliações em larga escala na alfabetização”, de Elianeth Dias Kanthack Hernandes e Julio de Mesquita Filho. Clique aqui para ler.

No 2º encontro formativo, comentamos sobre os instrumentos de registros e documentação pedagógica e fizemos atividades em grupos. Utilizei fragmentos de textos para composição de cartazes. Cada professor pegava um trecho do texto e discutimos a respeito, a partir da sua leitura. Veja aqui e aqui o material que organizei para estas atividades.

Fizemos ainda combinados dos critérios que seriam norteadores para avaliação dos nossos alunos. Estes critérios foram pensados de acordo com os objetivos trimestrais, previstos no plano anual. Comentei com os professores sobre a importância de termos bons critérios, e não critérios “rasos”, considerando a potencialidade das nossas crianças e a importância de avaliarmos nossos alunos com vista às metas traçadas.

No 3º encontro, realizamos, de acordo com tudo o que foi anteriormente estudado, os combinados para melhor organização das reuniões de conselho (clique aqui para ver) e discutimos ainda sobre a organização da pauta de reunião de pais. Refletimos sobre a importância de os alunos serem responsáveis e cientificados quanto ao seu processo de avaliação. Um texto muito bacana da Katia Stocco Smole fala sobre isso:  “O portfólio e o compromisso do aluno com sua aprendizagem”. Veja aqui.

Além disso, é importante refletir sobre a reunião de pais como espaço privilegiado para apresentação do processo pedagógico vivenciado. O professor precisa ter planejamento para abordar o trabalho desenvolvido com clareza, apresentando os resultados atingidos e as próximas metas para continuidade do ano, de acordo com o plano anual. Fazer a apresentação do seu trabalho através de exemplos em data show, vídeo do processo de ensino-aprendizagem ou cartazes, dispor as produções dos alunos em murais, móbiles e organizar pequenas exposições na sala são possibilidades que ampliam o olhar dos pais para o trabalho desenvolvido na escola. Este precisa ser o ponto alto da reunião de pais!

Sinto que a sequência formativa foi muito produtiva. Contei com a participação efetiva e interessada do meu grupo de professores e agradeço muito a todos, pois sem eles nada disso seria possível. Por fim, disponibilizei aos profissionais os slides utilizados na formação, com as referências que apoiaram toda a proposta de estudo. Costumo sempre disponibilizar o aporte teórico e apresento os livros que tenho como sugestão para aprofundamento da equipe docente.

Para ver a apresentação completa, clique aqui.

Por fim, para os dias de conselhos de classe, organizei a pauta do encontro, onde constam os objetivos e procedimentos que serão adotados nas reuniões, bem como as datas e horários de acordo com o calendário escolar. Gosto ainda de abrir as reuniões de conselho com vídeos, imagens, tirinhas ou pequenos textos a respeito da avaliação, promovendo, por fim, uma breve reflexão inicial a respeito do tema. Vejam um exemplo na minha pauta deste trimestre aqui.

Pois é, depois de muito estudo e trabalho percebemos o quanto avaliar precisa ser um ato reflexivo, envolvendo toda equipe docente em prol de um objetivo maior e coletivo: a aprendizagem de todos os nossos alunos.

E vocês colegas, como organizam os conselhos de classe? Existe um cuidado no planejamento dessas reuniões e propostas formativas que promovam a reflexão sobre a concepção de avaliação com a equipe docente?

Façamos estes momentos valerem a pena. As crianças merecem o nosso melhor. Sucesso a todos!

Um abraço e até a próxima,

Muriele Massucato

Tenha acesso a conteúdos e serviços exclusivos
Cadastre-se agora gratuitamente
Cadastrar